terça-feira, 4 de agosto de 2009

Desventuras, crimes e afeto

Direto de Fortaleza

A ética de cada indivíduo é determinada pelas condições do dia a dia? O longa Se nada mais der certo, do diretor José Eduardo Belmonte (A Concepção) mostra que um sujeito em crise pode acabar entrando numa vida criminosa sem perceber, principalmente quando encontra pessoas que compartilham desse mesmo sentimento de decadência. Frenético e com lacunas, o filme aposta numa história violenta e humana simultaneamente.

Léo (Cauã Reymond) é um jornalista desempregado, endividado e que vive com a viciada Angela (Luiza Mariane) e seu filho. Numa noite à procura da companheira, Léo conhece Marcin (Caroline Abras), uma garota que se comporta como um pivete, frequentador de “bocas” e zonas. Ela o apresenta a Wilson (João Miguel), um taxista que não consegue dinheiro para bancar seu táxi. Os três se unem para aplicar golpes. Dessa aproximação surge, então, uma forte relação de carinho e cumplicidade. Sem limites, o grupo acaba se envolvendo com pessoas muito perigosas.

Quanto às interpretações, destaques para Carolina Abras que consegue dá vida a um personagem ambíguo, ora frágil, ora sagaz e João Miguel, um sujeito deprimido a ponto de explodir a qualquer momento. Outra atuação marcante é do ator Milhem Cortaz que vive um travesti “barra pesada”, rendendo um dos momentos mais engraçados do filme. Já Cauã se esforça, mas não convence como um jornalista em derrocada, falta melancolia e alguns anos a mais.

Com estreia prevista para o próximo dia 14, Se nada mais der certo é dividido em atos, porém, esse artifício não impede alguns buracos que dificultam o entendimento da história. Parece que tudo acontece de maneira inusitada. Belmonte comentou na apresentação do filme no 19º Cine Ceará que o longa trata fundamentalmente de relações humanas, negando o rótulo de violento, mas é difícil dissociá-lo dessa imagem numa trama repleta de tiros, drogas e prostituição.

Clique aqui para conferir o trailer

2 comentários:

Marcus Vinicius Batista disse...

Michel, parabéns pelo texto. Fiquei curioso para ver o filme. MIlhem Cortaz, aliás, não faz trabalhos ruins, mas ator como esse tem pouco espaço na TV. Outro dia, vi uma entrevista do Selton Mello, na qual ele disse que, se mantiver o ritmo de estudos, Caua Reymond será um grande ator em poucos anos. O que pensa disso? Meu blog: www.conversasedistracoes.blogspot.com
Grande abraço, Marcus

MÍDIA CIDADÃ disse...

E ae Marcão,

Sempre leio seus textos, só falta deixar um comentário de vez em quando. Quanto ao longa, acaba de levar o prêmios de Melhor Filme, Direção e Ator no Cine Ceará.....Vai entender o que passa pela cabeça dos jurados.....auahauh

Grande abraço e continue acessando o blog

Michel