quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Quando o ingresso vale pelos atores em cena

Para Daniel Filho, não bastava bater todos os recordes de bilheteria com Se Eu Fosse Você 2, ainda faltava uma obra-prima para marcar sua carreira de diretor. Tempos de Paz é uma tentativa nesse sentido. Sem grandes pretensões de público, o longa apresenta uma história emocionante, com atuações de gala.


O filme retrata um período de transição da história mundial. Em abril de 1945, a 2º Guerra estava chegavando ao fim. Clausewitz (Dan Stulbach), ator polonês, desembarca no Brasil a fim de construir uma vida nova. Mas Segismundo (Tony Ramos), interrogador alfandegário e ex-torturador da polícia política de Getúlio Vargas , desconfia que o imigrante é na verdade um nazista fugitivo.


Clausewitz é interrogado por Segismundo na sala de imigração do porto do Rio de Janeiro. Para ficar no Brasil, o ator polonês precisa usar de toda sua arte para sensibilizar o truculento funcionário da Alfândega. Durante a conversa, muitas revelações são feitas. Fantasmas do passado vêm à tona. O encontro entre os dois rende momentos especiais, da tragédia à comédia.


Criticado por alguns por ser demasiadamente teatral, Tempos de Paz é um filme para quem gosta de grandes interpretações. É verdade que os diálogos parecem bem coreografados, mas nada que comprometa a naturalidade. Outro destaque do longa é a bela fotografia, especialmente na cena do desembarque do navio.


Inspirado na peça Novas Diretrizes em Tempos de Paz de Bosco Brasil, o filme de Daniel Filho é um verdadeiro tributo ao teatro e a seus artistas. Além disso, Tempos de Paz presta uma merecida homenagem aos imigrantes europeus, expulsos pelo nazismo, que ajudaram a engrandecer a cultura brasileira.

2 comentários:

Johnny Nastri disse...

Stulbach é um grande ator e só por ele já rola a vontade de assistir ao longa. Filmes nacionais são perigosos, mas a escolha do elenco foi ótima.

Assistirei sem dúvida.

Ótimo blog. Espero que vá conhecer o Vitrinedasideias.com.

MÍDIA CIDADÃ disse...

Realmente, o filme vale pelas belas atuações da dupla Dan e Tony. Além disso, o filme tem 80 minutos, algo raro....Ah, não seja tão severo com o cinema brasileiro, a evolução é notável.......Vou conferir o Vitrine das idéias