sábado, 9 de janeiro de 2010

Isso é uma vergonha

O vídeo em que o apresentador do Jornal da Band, Boris Casoy, ofende os garis virou hit na internet. No final de uma reportagem, exibida no último dia 31, os garis aparecem desejando feliz ano novo, Boris, pensando que estava em off, dispara durante a vinheta do jornal: "Que merda, dois lixeiros desejando felicidades do alto das suas vassouras. Dois lixeiros... O mais baixo da escala de trabalho". Os comentários do jornalista puderam ser ouvidos pelo público.

No dia segunte, Boris pediu desculpas ao vivo: “Ontem durante o intervalo do Jornal da Band, num vazamento de áudio, eu disse uma frase infeliz, por isso quero pedir profundas desculpas aos garis e aos telespectadores do Jornal da Band”.

O áudio só revela o pensamento de uma elite decadente e que tem como porta-voz o jornalista da Band. A mesma emissora que faz editoriais contra as cotas nas universidades, a redução da jornada de trabalho, a demarcação das terras Raposa do Sol, a revisão dos índices de produtividade da terra, entre outras bandeiras dos movimentos sociais.

Boris, conhecido pelo bordão "Isso é uma vergonha", deveria ser afastado do jornalismo imediatamente. Depois de conhecer sua opinião sobre os garis, como confiar na informação transmitida por este homem? Essa polêmica serve para reacender a discussão sobre a necessidade de criar um Conselho Nacional dos Jornalistas que regulamente a atividade desses profissionais, exigindo responsabilidade.

Não é possível que figuras como o apresentador do Jornal da Band continuem no ar como arautos da ética, sendo que nos bastidores disseminam preconceitos.

Clique aqui para conferir o vídeo

5 comentários:

Lobinho disse...

Esperar o que de um figura que fez parte do CCC? Esse episódio foi pra gente ter certeza do pensameno dessa gente que de vez em quano dão uma escapulida, se não deminiram nem o Gentilli, porque vão mandar o Boris embora? Fala-se mal da Globo, mas ao menos não se vê tantas manifestações como estas na Band.

Abaixo um ótimo post: Boris casoy, o terrorista do CCC

Boris Casoy, atualmente apresentador da TV Band, participou da organização terrorista Comando de Caça aos Comunistas (CCC), segundo reportagem da revista O Cruzeiro escavada pelo cloaqueiro. O CCC era uma organização de extrema-direita que ficou famosa pelo ataque à peça Roda Viva, de Chico Buarque, no Teatro Ruth Escobar, em São Paulo, no dia 18 de julho de 1968. De acordo com o livro Radiografia do Terrorismo no Brasil, de Flávio Deckes:
.
A cultura foi o alvo preferido das organizações [de direita] CCC, MAC, GAC e FUR no final de 1968. São Paulo, em julho, era palco de acontecimentos que apresentariam um balanço violento ao final do ano. Nesse mês, a 18, o teatro Galpão era invadido e depredado pelo CCC [Comando de Caça aos Comunistas], cujos militantes espancaram atores e o público que assistia Roda Viva, de Chico Buarque de Holanda. A atriz Marília Pera reconheceu duas pessoas entre os agressores: Claudinei Brás e Edgar, seu primo, mas ambos desapareciam como por encanto depois. No mesmo mês, se dava o atentado ao teatro Maison de France, no Rio, onde se representava O Burguês Fidalgo, de Molière, um equívoco provocado pelo clássico francês nas cabeças de terroristas ignorantes. Dia 22, os jornalistas recebiam a próxima agressão, com a explosão, pelo CCC, de bomba na ABI - Associação Brasileira de Imprensa - ainda na capital carioca. Em agosto, mais dois teatros sofrem ataques de bomba: a 2 o teatro Opinião, e três dias depois o teatro Glaucio Gil, com Os Inconfidentes em cartaz. Em setembro, os terroristas deixavam uma advertência no teatro João Caetano (RJ), após jogarem bomba que não explodiu (tinha um número e pertencia ao Ministério da Aeronáutica). Em cartaz, Feira Paulista de Opinião.

O cloaqueiro desenterrou uma reportagem da revista O Cruzeiro de 9 de novembro de 1968 que apresenta Boris Casoy como membro do CCC. A reportagem diz que Boris Casoy:

Anda armado mas, segundo os colegas, é incapaz de atirar em alguem.
.
Andar armado, participar de grupo de extrema-direita que agride artistas... Isso é uma vergonha!
.
http://animot.blogspot.com/2010/01/boris-casoy-o-terrorista.html

No Cloaca: http://cloacanews.blogspot.com/2010/01/exclusivo-boris-casoy-e-o-comando-do.html

Baixe a revista em PDF: http://www.4shared.com/file/191339099/6e84e0d5/Medeiros_-_1968_-_CCC_ou_o_com.html

Versos Controversos - Alan Salgueiro disse...

Lembro que na época que o Kajuru apresentava seus programas na Rede TV! ele costumava dizer: comigo não tem off! E eu acho que falya gente assim no jornalismo brasileiro, pessoas que dispam das máscaras, que sejam autênticos e que possam realmente proferir opiniões com autonomia. Realmente vergonhoso o episódio, ainda mais se tratando de um âncora de tevê da magnitude e com a história que o Bóris tem.

Evandro disse...

E o pior é que tais "Alturas de vassouras" é 80% da sua audiência

Thiago Capodeferro disse...

Eu como jornalista fiquei puto. Boris envergonhou toda a classe, se mostrou ser preconceituoso ao extremo. O mais patético é ele cotinuar a dar opiniões 'indignadas" como sempre fez depois da bobagem que falou. Como você vai levar um cara desse a sério? Ele perdeu totalmente a credibilidade. Deveria mudar o bordão para "eu sou uma vergonha"

Nádia Carla disse...

Depois deste episódio ver o Jornal da Band ficou muito complicado. Perdeu muito a credibilidade...