sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

O encanto da simplicidade


Um dos filmes nacionais mais premiados do ano, Antes que o mundo acabe, de Ana Luiza Azevedo, é uma combinação perfeita entre roteiro, direção e elenco. A história narra os conflitos de Daniel, um menino de 15 anos que se depara com situações que mudarão sua pacata vida numa pequena cidade gaúcha. Apesar de a adolescência ser um tema recorrente no cinema, o longa se diferencia por sua simplicidade. Simples, não no sentido de menos interessante, mas de comum, como é a realidade da vida da maioria das pessoas. 
 
Daniel (Pedro Tergolina) e Lucas (Eduardo Cardoso) são grandes amigos, mas a disputa pelo coração de Mim (Bianca Menti) causa grandes estragos a essa relação. Na verdade, como é normal nessa fase, eles não sabem exatamente o que sentem e querem de verdade. Em meio a tudo isso, Daniel começa a receber cartas e fotos de um pai que nunca conheceu. No começo, o garoto ignora, mas, aos poucos, ele vai descobrindo um mundo novo através dessas correspondências. Imagens de pessoas e lugares que parecem ter data para desaparecer do mapa. 
 
A história é narrada por Maria Clara (Caroline Guedes), irmã caçula de Daniel, que analisa tudo o que acontece a sua volta. Suas observações ingênuas, mas críticas, rendem bons momentos ao filme. Antes que o mundo acabe dialoga com toda família por tratar de questões que se você não passou como adolescente poderá passar como pai de um. As primeiras decisões, o ciúme, as amizades, a descoberta do inimaginável, todas essas experiências são retratadas de maneira natural, sem grandes rupturas.

Antes que o mundo acabe guarda algumas semelhanças com Os famosos e os duendes da morte, de Esmir Filho, e As melhores coisas do mundo, de Lais Bodanzk. Ambos retratam o universo jovem e procuram fugir dos velhos clichês. Mas diferente dos outros dois, o filme de Ana Luiza não tem vocação para ser alternativo nem popular. Talvez por isso o resultado soe mais verdadeiro ou menos impressionante, dependendo de quem julgue. Os três longas confirmam que 2010 foi realmente o ano da geração teen no cinema brasileiro.

Sem dúvida, Antes que o mundo acabe é um sucesso de crítica. A saga de Daniel recebeu seis prêmios no II Festival de Paulínia, além de conquistar o de melhor longa juvenil no 15º Festival Internacional de Cinema para Crianças e Jovens na Alemanha. E nesta semana foi aclamado pela APCA (Associação Paulista dos Críticos de Artes), como melhor filme do ano. Esse reconhecimento mostra que boas histórias não precisam de grandes malabarismos, basta contá-las com sutileza e um toque de simplicidade.

4 comentários:

Raomi Pani disse...

cinem brasileiro. a-mo.
e fiquei com vontade de ver o filme. gosto de simplicidade. até prefiro assim. simples, mas sincero.

Vanessa Celles disse...

Adorei o post, agora estou curiosa ! Quero ver o filme *-*

Victor Von Serran disse...

ja tinha assistido ao filme --espetacular

obrigado pela visita,volte quando quiser

http://universovonserran.blogspot.com
seguindo

Lillo Dogmez, o licantropo. disse...

Vou procurar esse filme na locadora urgente!