terça-feira, 25 de março de 2008

Mídia influencia Legislativo

Uma pesquisa da agência FSB Comunicações revela que mais da metade (62%) dos deputados federais entrevistados (246) deu nota acima de cinco, numa escala de 0 a 10, para a influência que a mídia tem em suas decisões e votos. O estudo “Deputados Federais, Mídia e Conjuntura Política”, realizado entre 04 e 19/12/07, utilizou uma amostra representativa de 48% dos parlamentares da Casa.

A pesquisa aponta ainda que o meio jornal é o mais utilizado pelos deputados federais. Mais de noventa e seis por cento (96,3%) deles lêem jornal todos os dias. O preferido é a Folha de S.Paulo (84,7%), seguido de O Globo (48,6%), Estadão (32,9%) e Correio Braziliense (32,1%).

As revistas estão na consulta diária de 87,8% dos parlamentares. Veja é a mais lida, com 78%, seguida da IstoÉ (52,8%), Época (40,2%) e CartaCapital (25,2%).

Telejornais estão na preferência de 62,2% dos parlamentares, diariamente. Os mais assistidos são: Jornal Nacional (60,6%), seguido do Jornal da Globo (39,4%), Jornal da Record (29,3%) e Jornal das Dez, do SBT (27,2%).

Sites e blogs são consultados todos os dias por 47,2% dos deputados federais, com a maior audiência para o Blog do Noblat (24,4%), seguido do UOL (22,4%), Portal Terra (9,8%) e Josias de Souza (9,3%).

O meio rádio está equiparado com a Internet, com 47,2% da audiência diária dos parlamentares. A CBN está na frente (63,8%), seguida da Band News FM (20,3%), Câmara (15,4%) e Jovem Pan (8,9%).

Fonte: Site Comunique-se

Para refletir: Essa influência que a mídia exerce sobre o Legislativo é positiva? Nem sempre. Às vezes, a "grande" imprensa privilegia determinados grupos, não correspondendo necessariamente aos interesses da sociedade.
A agenda do Congresso não pode ser definida pela mídia. O parlamentar precisa estar sensível à opinião pública, mas isso não quer dizer que sua atuação deva ser pautada pelo que é veiculado pelos meios de comunicação.

2 comentários:

Anônimo disse...

É, a mídia é como uma moeda de duas faces... tanto pode ser usada para o bem qto para o mal. Devemos ter muita sensibilidade ao ler, olhos atentos e críticos, afinal nem tdo q parece é de fato. Só existe político pautando-se ou usando a mídia, pq ainda existem pessoas q acreditam em tdo o q veem por aí. E é cada coisa... Fala sério hein!

Michel disse...

As CPIs são um exemplo dessa influência da mídia na atuação parlamentar. Os deputados utilizam as matérias veiculadas nos jornais e revitas para questionar os investigados. Às vezes, eles amplificam denúncias sem provas divulgadas na imprensa.A mídia acaba fazendo o trabalho fiscalizador que é obrigação do Legislativo.