segunda-feira, 14 de abril de 2008

Entretenimento versus cultura

O desafio de democratizar a cultura

Michel Carvalho (*)

Há alguma incompatibilidade entre entretenimento e cultura? Depende do ponto de vista. No Brasil, ainda existe a tendência de fazer da ação cultural um instrumento de lazer para o tempo livre. Essa contradição é explicada em parte pela falta de sensibilidade do Poder Público que continua tratando o tema como supérfluo diante de outras demandas da população. Em tempos de dengue, falar de arte parece escárnio.

Segundo dados do próprio IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em mais de 80% das cidades brasileiras não há órgãos exclusivos para gerir a cultura. Assim, a área é "empurrada" para outras secretarias, como a de educação, de turismo, de esporte ou mesmo de lazer. Esse descaso é agravado por um investimento pífio de menos de 1% do orçamento municipal em ações culturais.

(*) Jornalista e Educador da ONG Educafro

Texto na íntega no site:
http://www.artefatocultural.com.br/portal/index.php?secao=colunistas_completa&subsecao=65&id_noticia=120&colunista=Michel%20Carvalho

4 comentários:

Anônimo disse...

Cultura pra mim é identidade. E a identidade dos nossos governantes é uma só, dinheiro!

Cristiano disse...

Muito bom...só não concordo que o acesso à cultura é inviabilizado por motivos econômicos. Isso não é verdade há muito tempo, e agora somente serve como muleta.

Michel disse...

Bom, algumas iniciativas vêm acontecendo para democratizar a cultura,mas reitero que o aspecto financeiro ainda é um obstáculo. Espetáculos teatrais, por exemplo, quando são apresentados na região são muito caros, mesmo com carteira de estudante. Seria bom investir no teatro amador a preços populares, não esquecendo da da divulgação,que costuma ser falha também.

Anônimo disse...

É isso ai Michel, muito bem colocado, disse tdo q eu gostaria de dizer.