terça-feira, 14 de abril de 2009

Um filme obrigatório

Ácido e inquietante, Entre os muros da escola, do diretor Laurent Cantet, não é mais um filme sobre professores heróis e alunos problemáticos. Ao retratar o cotidiano de uma escola do subúrbio francês, o drama questiona os limites da educação diante dos conflitos culturais, dos dramas familiares e, sobretudo, do desinteresse dos estudantes.

O abnegado dessa vez é o professor François Marin que tenta impor disciplina e extrair o máximo dos alunos numa turma multiétnica, em que árabes, africanos, orientais e franceses dividem o mesmo espaço. Provocado a todo momento, o educador procura não deixar nenhum comentário sem resposta. Aliás, esses confrontos geram os momentos mais tensos do filme.

Mas o maior problema de Marin é conviver com um sentimento de frustração muito presente. Ver que seus alunos não aprenderam é o que mais lhe incomoda como profissional. Além disso, o contato com outros professores da escola é desolador. Muitos também se encontram no limite. Marin é o exemplo do educador que se cansa, tanto do regime burocrático quanto da indiferença dos estudantes.

Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes do ano passado, Entre os muros da escola é um longa para ser discutido por educadores, dirigentes de ensino e pais de alunos. Algumas questões levantadas são muito parecidas com a realidade brasileira, principalmente no que se refere a falta de valorização dos professores e na desestrutura familiar dos alunos.

Diferentemente de outros filmes do gênero como Escritores da Liberdade com Hilary Swank e Mentes Perigosas com Michelle Pfeiffer, o longa de Cantet não tem um final feliz. Com grandes interpretações, Entre os muros da escola tem o mérito de tratar o assunto educação com os pés na realidade e sem o glamour hollywoodiano. Não é por acaso que se trata de uma obra-prima do cinema.

2 comentários:

Bc Guedes disse...

Lembrei de Escritores da Liberdade assim que comecei a ler esse post. Vou assistir, sem dúvida. Será que já está disponível em sites de download livre?

Abs.

MÍDIA CIDADÃ disse...

Bruno,

Baixei do blog O Melhor da Telona...Vale à pena conferir.