terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Romance sem drama nem clímax

É possível abordar temas tão polêmicos como incesto e homossexualismo de maneira singela e livre de conflitos? Do começo ao fim, do diretor Aluizio Abranches (Um copo de Cólera As Três Marias) se esforça, mas acaba se transformando num conto de fadas, perfeito e clean demais como um comercial de creme dental.


Filhos de pais diferentes, os irmãos Francisco (Rafael Cardoso) e Thomas (João Gabriel Vasconcelos) têm uma relação muito forte desde a infância. Thomas nasce cego e permanece assim durante várias semanas até um dia, sem mais nem menos, abre os olhos e a primeira pessoa que vê é seu irmão mais velho.


Aos poucos, a amizade natural entre irmãos se transforma num amor incondicional. A mãe dos meninos, Julieta (Julia Lemmertz) observa tudo atentamente, ora com ternura, ora com estranhamento. Ela não sabe o que está acontecendo direito com Thomas e Francisco, por isso, prefere deixar as coisas acontecerem naturalmente, evitando qualquer tipo de questionamento.


A transição para fase adulta dos rapazes é marcada por uma grande perda. A partir daí, eles começam a morar sozinhos e viver como namorados apaixonados, com direito até a aliança de compromisso. A história então mergulha num mundo irreal em que todos aprovam a incestuosa relação, inclusive o pai de Thomas, vivido por Fábio Assunção.


Numa das passagens do filme, Thomas afirma que para compreender o amor dele com o irmão seria preciso virar o mundo de ponta a cabeça. É neste ponto que o roteiro apresenta grandes fragilidades. Numa sociedade moralista como a brasileira, é difícil imaginar que ninguém reprove o relacionamento entre irmãos do mesmo sexo.


Cercado de polêmica, o trailer do filme se tornou hit na internet bem antes da estréia nos cinemas, gerando muitas expectativas. Mas Do começo ao fim frustra por trilhar um caminho sem pedras, numa história até ousada, mas sem emoção, que não cativa o público. O destaque são as atuações dos atores mirins, Lucas Cotrim e Gabriel Kaufmman, que vivem Francisco e Thomas, respectivamente.

4 comentários:

Daniel "Beça" disse...

Parabéns pelas análises e postagens, vi seu blog pela comunidade Jornalistas Blogueiros!

Daniel "Beça" disse...

Ah acesse meu blog de quadrinhos também! http://ofensivopornatureza.blogspot.com

Michel disse...

Olá Daniel,

Vou conferir seu blog.

Abs

Djair Souza disse...

Muito bom Michel, já assisti há algumas semanas, embora faltem conflitos no filme (pais, amigos, todos acweitam facilmente a condição homessexual incestuosa, que mundo liberal, não?) é muito bonito, bela fotografia, ótimas atuações.